terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Domingo dia 24 foi dia de Toque de Caboclo no Pai André Carvalho em Ceilândia - Brasília- DF, clique na ultima foto para ver mais fotos.




 Toque de Caboclo na Casa de Pai Antre Carvalho em Ceilandia - Brasília - DF

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

"DF cria 1ª delegacia para investigar crimes de intolerância religiosa de Brasília!"

Criação foi motivada por ataques a terreiros de candomblé no DF e Entorno, a delegacia tomou corpo na visita do Sr Governador Rodrigo Rollemberg ao Ilê Oyá Bagan no dia 28 de dezembro devido ao incêndio que destruíra o mesmo na madrugada do dia anterior e na ocasião o Governador assumiu o compromisso publicamente de impalantar a delegacia que fora naquele momento solicitado a ele pela Mãe Adna Santos, dirigente do terreiro incendiado ao ser questionada pelo Governador o que ela gostaria que ele fizesse, A delegacia já era um desejo antigo de nossa comunidade devido as diversas formas a que fomos vitimizados em tempos anteriores, e já em diversas ocasiões entidades de nossa comunidade religiosa como: o FOAFRO-DF, FEDERAÇÃO, REDE SÓCIO CULTURAL, MNU, ÀSÉ DUDÚ, há mais de 8 anos vem lutando pela implantação deste órgão. Agora com a ajuda da Fundação Cultural Palmares e também com a união de diversas entidades formando o FDL-DF,que tem participado de discussões á respeito da implantação desta delegacia, como a que acontecera no dia 2o de janeiro na Fundação Cultural Palmares, cuja reunião fora chamada pela Presidenta Sra Apare Cida Abreu com a diretoria do SINPOL -DF ao saber que a diretoria daquele órgão de classe se posicionara contrária à implantação da delegacia, a reunião foi com o objetivo de mostrar aos diretores os reais motivos da importância da delegacia para nossa comunidade, a qual conseguimos com que a diretoria do sindicato entendesse nossas razões e eles também nos passaram diversos aspectos de sua classe. SEM OPORTUNISMOS, COM REAL PENSAMENTO COLETIVO E SEM MENTIRAS, SOMENTE ASSIM CONSEGUIREMOS FAZER COM QUE NOSSA COMUNIDADE SEJA RESPEITADA. ©Ògan Luiz Alves

vejam mais fotos clicando aqui 




terça-feira, 29 de dezembro de 2015

MAIS UM ATO DE VANDALISMO E INTOLERÂNCIA CONTRA AS IMAGENS DOS ORIXÁS NA PRAINHA.


Ontem eu Ògan Luiz Alves, (Coordenador do FOAFRO-DF), Pai Wilson Veleci (FOAFRO-DF) e Pai Rafael Moreira - Presidente da Federação, estivemos na Prainha para acompanharmos a montagem da estrutura para as festividades da Festa de Iemonjá, no local fomos parados por um dos moradores de rua que dormem em barracas no local que nos informava que dias atrás um carro branco com três pessoas, sendo dois homens e uma mulher, que estavam em um carro branco, tentaram arrancar o Opaxorô (cajado) de Oxalá, sendo que a mulher ficara dentro do carro e os dois homens saíram para destruir o monumento ao ver o movimento o morador saiu correndo em direção aos rapazes gritando para não fazer aquilo, fato que fez com que os vândalos corressem para dentro do carro e quase o atropelasse, segundo o morador a mulher que estava no lado do carona era uma pessoa branca ele viu devido a proximidade com que o carro passou perto dele. Não conseguiram arrancar o Opaxorô porque o mesmo é grudado nas vestes da estátua, logo após o ocorrido o morador arrumou uma corda e amarrou o braço com medo de que o mesmo caísse e quebrasse a estátua.
Outro fato ocorrido foi um tijolete de concreto que fora arremeçado contra a estátua de Iemonjá tendo danificado o laçarote

das vestes da mesma. ÒganLuiz Alves
 vaja mais aqui

Veja mais fotos clicando veja mais fotos aqui

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

ILÊ EM CÉU AZUL SOFRE ATAQUE!

Ontem (02/12/2015) eu Ògan Luiz Alves representando o FOAFRO-DF e oFdl Bsb-df e Pai Adaildo Lopes representando a FEDERAÇÃO e Murilo Mangabeira. pela SAMIDH-DF (Secretaria Adjunta de Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos) fomos até Céu Azul na perto Valparaizo II para nos inteirarmos do acontecido com aquela casa de Àxé que fora vitimada por mais uma ação contra um espaço sagrado. Segundo Mãe Regina de Òyá, dirigente do àsé e demais filhos presentes no local esta fora a 3ª vez este ano que a casa fora invadida, depredada e teve objetos furtados. Segundo a dirigente do ilê na segunda vez quando representantes da segurança lá estiveram em vez de receber o apoio e ver a sua segurança garantida pelos funcionários do estado, o que ouviu foi um conselho para que se mudasse dali pois não teria mais segurança ou tranquilidade. A chácara onde está o Ilê é a unica que ainda mantem no local o aspecto de chácara pois as demais foram transformadas em condominios e o ilê está ladeado por duas construtoras que estão tocando um projeto de prédios habitacionais no lugar e por outro lado um condominio. A chácara é bastante extensa e alguns fatos nos levam a acreditar na estranheza dos acontecimentos, os roubos são sempre durante o dia, em um horário em que sempre há pessoas transitando pela rua da chácara, os prédios das construtoras são vigiados por vários profissionais de vigilância que enxergam tudo o que ocorre na rua (exceto os roubos), A chácara é murada com muros altos e possue portão eletronico também alto o que dificulta o acesso ao terreno sendo preciso pular para acessá-lo, mas misteriosamente os ladrões conseguem essa proeza durante o dia e carregando botijões, aparelhos eletrônicos e demais frutos de roubos. Como sempre ocorre a Mãe Regina de Òyá está há mais de 10 anos no local, quando ainda o acesso à sua chácara era feito a pé por não ter linha de ônibus para o local ou mesmo estradas, pois em sua área ainda não haviam sido construídas casas, após a aceitação de venda de algumas chácaras para que fossem transformadas em condomínio sua vida segundo ela se transformou em um pesadelo, sendo interpelada diversas vezes por agentes das empresas construtoras no sentido de vender a chácara. O fato em si não é apenas uma especulação imobiliária, mas também uma agressão ao nosso sagrado, já que uma casa de santo fora invadida. Outra coisa também a ser levada em consideração é o fato dos funcionários da segurança pública se recusarem a registrarem os atos de intolerancia contra nossa casa como um crime de intolerancia religiosa, precisamos que nossos dirigentes de casas quando forem vitimados por atos desta natureza, não aceitem que o escrivão ou profissional que for lavrar a denuncia opte pela injuria ou roubo qualificado, nós somos vitimados por atos de intolerância, se alguém invade nosso espaço sagrado para roubar ele está praticando dois crimes de cara o da intolerancia religiosa, e roubo(quando houver). Em nossa conversa tiramos algumas ações que iremos conversar na próxima reunião do Fdl Bsb-df. A chácara fica no lado que pertence à Goiás no primeiro momento nos haviam informado que pertencia ao DF. A SAMIDH-DF (Secretaria Adjunta de Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos), irá conversar com os órgãos daquele estado para as devidas providencias, nós do FOAFRO-DF, Fdl Bsb-df e Federação também já estamos em conversa com representantes do movimento organizado para as devidas ações. Nossa visita não foi só no sentido de nos solidarizarmos com a Iyá, mas também dizer a ela e a quem mais tiver de ser dito que agora será assim, mexeu com um, mexeu com todos e não toleraremos mais nossas casas invadidas, sejam elas por fundamentalistas cristãos ou empresários do ramo imobiliario, a briga será com todos e não apenas com um. Ògan Luiz Alves - Coord. do FOAFRO-DF.








segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Incendio no Ile Oya Bagan - Brasília - DF

Na madrugada do dia 26 de novembro o Ilê Oyá Bagan que fica na Cidade Paranoá em Brasília-DF, foi alvo de um ataque que culminou em um incêndio destruindo todo o barracão de santo. A perplexidade da comunidade afro religiosa não só de Brasilia bem como do Brasil e de diversos países levantou a questão da Intolerância Religiosa que vem crescendo absurdamente em todo o território nacional, só em Brasília e Entorno neste ano foram mais de 13 ataques desferidos contra a comunidade afro religiosa e todos eles com aspectos semelhantes a atos de Intolerância Religiosa.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Uma pessoa me perguntou porque oculto postagens ofensivas à Dilma ou a Lula. Primeiro porque este espaço é meu e dele faço o que quiser. Se não gosta de minha atitude me bloqueie ou então me exclua, sinta-se à vontade, não faço coro à bandidos que saquearam o país por séculos com sua tradição que usaram este país como se fosse seu feudo familiar e agora pintam de arautos da honestidade. Vou bloquear sim todas as mensagens que eu achar ofensivas, há uma diferença muito grande entre ser político e politiqueiro. Não apoio golpe, quer retomar o governo, faça por onde para que obtenha votos nas próximas eleições, tenham acima de tudo caráter nas discussões e não sejam tão viz e baixos. Até o governo Lula a comunidade de baixa renda nunca se sentiu incluida nos projetos sociais, a comunidade negra e afro religiosa nunca havia entrado nos palacios pela porta da frente e nunca tinham sido incluídas em projetos sociais. Não sou negro da casa grande que bate palma pro senhorzinho enquanto ele espanca meu irmão. Sou negro na fé e na condução de minha história. Não bato palmas para quem sempre nos encontrou às escondidas e com medo de ser visto ao nosso lado. Meu povo tem dignidade e vergonha na cara, a história de meu povo é o condutor de minhas atitudes. Tenho memória, não sou vendido e somos muitos irmãos que não se vendem ou se encantam com cantos de sereias nefastas. Você que é negro e defende essa corja, observe quem são as lideranças do que vc defende, olhe quantos negros estão no comando da ação, você para eles não passa de mais um, não passa de mais um da claque que logo depois tal qual a laranja quando acaba o sumo,será jogado em algum canto ou lata de lixo. Sei que há muito ainda a ser feito, a diferença é que com o governo que aí está eu faço parte da mudança e transformação e não apenas um mero numero na urna eleitoral como por séculos fomos nesse país. Não me contento com o farelo que cai do banquete dos que não me permitem sentar à mesa. Somos negros e carregamos conosco a nossa história e seremos nós que a narraremos para o mundo, á nossa maneira e sob a nossa ótica, não aceitaremos mais que coloquem palavras em nossas bocas. SER NEGRO É ANTES DE TUDO UM ATO DE ATITUDE E AUTO CONHECIMENTO! SOU DILMA, SOU PT E SEREI LULA NA PRÓXIMA ELEIÇÃO! 
SE TIVER CORAGEM E CAPACIDADE PRA LUTA, CAI PRA DENTRO!

sábado, 12 de setembro de 2015

Conferência Livre de Saúde da População Negra

Dando início aos trabalhos do 2º dia da Conferência Livre de Saúde da População Negra, palestra de Deivison Nkossi, que fala sobre a população negra e o SUS.
                                                                                                                            Fotos: Ògan Luiz Alves







segunda-feira, 17 de agosto de 2015

NOTA DE FALECIMENTO


É COM PESAR QUE COMUNICAMOS A PASSAGEM PARA O ÒRUN DE PAI EUCLIDES - PATRIARCA DA CASA FANTY ASHANTY EM SÃO LUÍS - MARANHÃO. ROGUEMOS Á ÒLÓÒRUN QUE O RECEBA EM SEUS BRAÇOS E QUE NOSSA ANCESTRALIDADE FAÇA FESTA EM SUA CHEGADA.. UM DIA APÓS HOMENAGEARMOS NOSSO PAI OBALWAYÊ E NO DIA DA SEMANA QUE LHE É DEDICADO, RECEBEMOS ESSA TRISTE NOTICIA, MAS TEMOS A CERTEZA DE TERMOS TIDO ENTRE NÓS UM BALUARTE DE NOSSA RELIGIOSIDADE QUE SOUBE COMO NINGUÉM DEFENDER E DIVULGAR A NOSSA FÉ E ANCESTRALIDADE.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

MESMO APÓS MORTE DE MÃE DE SANTO, A INTOLERÂNCIA CONTINUA EM CAMAÇARI - BA

Mesmo após a morte de Mãe Dedé de mais de 90 anos devido aos ataques de intolerância Religiosa, pastora volta a ameaçar integrantes da Casa de Òyá em Camaçari - BA e diz "Vocês vão ver o que vai acontecer. Morte é morte. Deus Mata, está na bíblia". Detalhe a "Casa de Oração" , não tem licença para funcionar, o terreiro está em dias .




quinta-feira, 6 de agosto de 2015

COMUNICADO DO I EFOP

http://efop.strikingly.com/

 Entre os dias 22 e 23 de agosto, antecedendo a III edição da Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro, nós da Campanha Reaja ou Será Morta/o impulsionaremos o I Encontro de Formação e Organização Pan-africanista: CONTRA O GENOCÍDIO DO POVO NEGRO, o EFOP, em Salvador (BA), a cidade-túmulo, capital neocolonial do Holocausto Negro.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

PROGRAMAÇÃO: I ENCONTRO DISTRITAL E DO ENTORNO DO DF DOS HOMENS DE AXÉ

PROGRAMAÇÃO: * 13 h - Recepção e Boas vindas; * 13 h 30 min. - Louvores a vida e a natureza; * 14 h - Mesa de abertura - Ministério da Saúde - Coordenação Nacional Saúde dos Homens; SEPPIR DF; DAGEP; Coordenação Nacional da RENAFRO; Coordenação Nacional e Distrital do DF GT Homens de Axé;  * 14 h 30 min - Painel 1 -  Práticas de cuidados e a Promoção da Saúde dos Homens de Terreiros: o olhar da tradição religiosa afro-brasileira para as políticas públicas. * 15 h 30 min - Painel 2 - Homens de Axé rumo à 15 Conferência Nacional de Saúde - Michelly Ribeiro - Representante do Movimento Negro no Conselho Nacional de Saúde * 16 h 30 min. - Encaminhamentos e propostas para o III Encontro  Nacional Homens de  Axé. Baba Edilson de Omolu Coordenar Nacional do Homens de Axé RENAFRO SAÚDE Membro da Comissão CISPLGBT/CNS Membro Comitê Técnico Saúde LGBT Membro da ANEPS Nacional WhatsApp (88)999694.6120 E-mail: gomes.edilson@gmail.com Valdeci Velez Coordenador GT – Homens de Axé – DF Fone: (61) 9172-7820
Agora é oficial, Mãe Baiana (Adna Santos), tomou posse na Fundação Cultural Palmares, no cargo de Chefe de Divisão de Proteção do Patrimônio Afro Brasileiro. Nós ficamos bastante felizes pela indicação, pois sabemos do compromisso da mesma com a nossa tradicionalidade e comunidade. Muito Àsé na caminhada e que seja de grandes resultados para nossa comunidade.

segunda-feira, 20 de julho de 2015


Policia Federal

A cada dia apreciamos a Policia Federal inovando para fazer prevalecer a ordem.

Só temos a elogiar e aguardar que esta inovação também aconteça em relação ao CRIME DE RACISMO.

RACISMO INSTITUCIONAL

É o fracasso coletivo de uma organização em prover um serviço profissional e adequado às pessoas por causa de sua cor, cultura ou origem étnica.

Como se manifesta?
O racismo institucional pode ser visto ou detectado em processos, atitudes ou comportamentos que denotam discriminação resultante de preconceito inconsciente, ignorância, falta de atenção ou de estereótipos racistas que colocam minorias étnicas em desvantagem.

Qual a sua conseqüência?
O racismo institucional determina a inércia das instituições e organizações frente às evidências das desigualdades raciais.

(Extraído do Programa de Combate ao Racismo Institucional no Nordeste do Brasil - DFID/PNUD)

Clique na figura e conheça a íntegra da informação (Faceboock)

 link

recebido de 

Luiz Otávio de Brito afrodescendentesantos@gmail.com

A coisa que mais me alegra é ver jovens afro religiosos correndo atrás de seus objetivos e procurar transformar tais objetivos e um beneficio coletivo. Hoje ao chegar à Câmara dos Deputados para mais uma dia de bomburrar (como dizem os garimpeiros ao ato de garimparem em busca de ouro) vejo que Nailah Neves Veleci estava dando uma entrevista para a TV CÂMARA, enquanto deputada no projeto Politéia. O projeto visa preparar jovens universitários no contexto político e assim preparar a geração futura para ações políticas mais interagidas com os anseios da população. Nailah Neves Veleci, estava falando de seus projetos apresentados nesta edição do projeto, ela já participou de várias outras edições, agora enquanto deputada jovem universitária. Falei com ela e a mesma irá depois disponibilizar para nós seus projetos de leis apresentados. Nailah Neves Veleci é filha do casal que também são fundadores e membros atuantes do FOAFRO-DF, Luzarda Luzarda Veleci e Wilson Veleci. Sugiro que acompanhem a tragetória dessa guerreira que também faz parte da família FOAFRO-DF. A FAMÍLIA FOAFRO SE ORGULHA MUITO DE VOCÊ Nailah Neves Veleci E TEMOS CERTEZA QUE SEU FUTURO SERÁ DE GRANDE SUCESSO E NÓS AFRO RELIGIOSOS TEREMOS EM VOCÊ UM PILAR ONDE NOS APOIARMOS E FORTALECERMOS NOSSA LUTA! ÀSÉ

Valmir se reúne com políticos da Chapada e traça planos para o próximo período eleitoral

[Política] - 20.07.2015


Neste final de semana, o deputado federal Valmir Assunção cumpriu agenda na região da Chapada Diamantina, visitando os municípios de Ibicoara e Mucugê para traçar novas estratégias para o próximo período eleitoral e debater demandas para a região. Os encontros no interior foram neste domingo (19) e envolveram prefeitos, vereadores, além de secretários e lideranças políticas locais para fortalecer as bases eleitorais e ampliar as informações sobre as conjunturas nacional e estadual. “São encontros que seguimos realizando por toda a Bahia. Em Ibicoara, foram destacados pontos importantes para o desenvolvimento do município, como o sistema de água e esgotamento sanitário para o distrito de Cascavel, e a ampliação do sinal de telefonia móvel para esse distrito, que é polo de produção da região da Chapada”, informa Assunção.

O parlamentar petista também reafirmou que Ibicoara precisa do desempenho do prefeito Arnaldo Pires (PSL) por mais quatro anos na prefeitura para seguir com as mudanças. “A atuação do gestor tem auxiliado no crescimento do município e isso significa que devemos avançar ainda mais e garantir sua reeleição em 2016, é importante que tenhamos isso como meta na Chapada Diamantina”, completa. Já na agenda em Mucugê, Valmir conversou com os vereadores do PT, Iara, Edio, Nelinho e Rangel e com o presidente do PT do município, Junior. No encontro, eles debateram a conjuntura no município e a necessidade do fortalecimento do partido na cidade.

“O PT tem todas as condições de lançar candidatura própria em Mucugê, disputar e ganhar a prefeitura para alinhar ao projeto estadual e nacional de inclusão social”, defende Assunção. Participaram das agendas na Chapada Diamantina, o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Márcio Matos, o assessor especial do governador Rui Costa, Ivan Alex, e o coordenador geral da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), Ariosvaldo José de Souza.

Ascom do deputado Valmir Assunção
Vitor Fernandes (DRT-2430)

segunda-feira, 13 de julho de 2015

ATENÇÃO FAMÍLIA FOAFRO E AMIGOS, RECEBI ESTE CONVITE DO GABINETE DA DEPUTADA BENEDITA DA SILVA E REPASSO À TODOS. LEMBRO AINDA DA IMPORTÂNCIA DE NOSSA PARTICIPAÇÃO PRESENCIAL NOS EVENTOS, MILITÂNCIA VIRTUAL É BOA, MAS SOMENTE A PRESENCIAL DEMONSTRA REALMENTE NOSSA FORÇA E UNIÃO! QUEM FOR FAVOR IR COM FIOS DE CONTAS OU ROUPAS SOCIAIS QUE NOS IDENTIFIQUEM ENQUANTO AFRO RELIGIOSOS.
Ògan Luiz Alves.
Luiz, boa noite. Em nome da Deputada Benedita da Silva, envio convite para lançamento da Frente Parlamentar Brasil-África com Participação Popular e de Enfrentamento ao Racismo.
Contamos com sua presença.
Cleo Santos
Assessora Parlamentar I Dep. Benedita da Silva
(61) 99644703 – 3215-5330
cleunice.santos@camara.leg.br
dep.beneditadasilva@camara.leg.br

quinta-feira, 28 de maio de 2015

CPI - VIOLÊNCIA CONTRA JOVENS NEGROS E POBRES - FOTOS: ©ÒGAN LUIZ ALVES

 Clique aqui para ver mais fotos


Hoje houve mais uma audiência pública na CPI - Violência Contra Jovens Negros e Pobres, da Câmara dos Deputados em Brasília. Posto aqui também alguns requerimentos que foram aprovados na mesma para que se tome conhecimento. Clique na primeira foto para ver mais fotos.




quinta-feira, 21 de maio de 2015

CPI - Violência contra Jovens Negros e Pobres

Aconteceu na Câmara dos Deputados uma audiência pública da CPI - Violência contra Jovens Negros e Pobres, o objetivo da CPI é fazer um levantamento das causas e consequências da violência ao jovem negro brasileiro.
CLIQUE NA FOTO PARA VER MAIS.
 CLIQUE NA FOTO PARA VER MAIS


terça-feira, 19 de maio de 2015

Indígenas e Quilombolas lotam plenário das comissões na Câmara em Brasilia contra a PEC215

Hoje dia 19 de maio, dezenas de índios e líderes do movimento social organizado lotaram o plenário 12 do Corredor das Comissões da Câmara dos Deputados em Brasilia, para discutirem os efeitos da PEC 215 na sociedade e comunidades indígenas e quilombolas em todo o Brasil. Diversos órgãos de luta pela manutenção dos direitos humanos estavam presentes e se colocaram contrários a discussão e possível votação da PEC 215 nesta casa de leis. Entre os pontos polêmicos desta PEC é a transferência da administração e titularização das terras indígenas e quilombolas passarem a ser de responsabilidade da Câmara dos Deputados e não mais pelo Poder Executivo. Há temores de que caso passe a responsabilidade para a Câmara dos Deputados a bancada ruralista e do agronegócio irão legislar em causa própria dificultando a demarcação das terras das reversas indígenas e também dos quilombolas.

                                          Fotos ©Ògan Luiz Alves